Imigração Alemã > Publicações > Tramandahy: as idas à praia no início do século XX



Tramandahy: as idas à praia no início do século XX

Jornalista e escritor publica obra sobre as idas à praia no início do século XX

O jornalista e escritor Felipe Kuhn Braun, na obra: Tramandahy: as idas à praia no início do século XX, retrata os hábitos culturais e costumes dos descendentes de alemães que iam ao litoral gaúcho no início do século passado. Na época, poucas praias haviam sido desbravadas, uma delas era a atual praia de Tramandaí. O processo de “colonização” dessa praia teve início em 1898, quando Eneas Sperb, um hoteleiro de São Leopoldo, decidiu inaugurar um novo empreendimento na pequena vila de pescadores, que também era utilizada como balneário.

Felipe escreve passo a passo, como era a viagem até a praia, as acomodações do Hotel Sperb e os anos iniciais de ocupação. Ir ao litoral no começo do século XX era uma verdadeira aventura, três dias e meio de viagem sobre uma carreta de bois em uma estrada em péssimas condições, separavam os habitantes do Vale dos Sinos da praia.

Todo esse passado, cada vez mais distante, nos afasta mais e mais, e poucos são os que presenciaram aquelas primeiras histórias, afinal, quem conheceu as praias lá nos primórdios da ocupação já não vive, e aqueles que viveram os anos iniciais de Tramandaí, são nos dias de hoje, pessoas com avançada idade.

Poucas dessas histórias foram registradas, porém felizmente na época do surgimento de Tramandaí, a fotografia no Rio Grande do Sul “andava a passos largos” e hoje, um século depois dos primeiros registros, elas se mantêm perfeitamente, e servem como fonte para conhecermos passa a passo, a “Tramandahy” do início do século.

Desaparecidas as construções e os personagens da época, sobrevivem através da imagem, as memórias dos pioneiros e o seu modo de vida, em uma sociedade muito diferente da que vivemos hoje. Além dos históricos coletados através de entrevistas, mais de uma centena de fotografias ilustram o projeto. Resultado de nove anos de pesquisas do autor, entre as famílias do Vale dos Sinos e da Região Metropolitana.

E assim Braun dividiu o tema nos principais assuntos: o Hotel Sperb, a ida ao litoral, o bonde de Tramandaí, os banhos de mar, as construções de casas de veraneio e as diversões daquela época. O objetivo é passar aos leitores, o retrato (tanto escrito quanto iconográfico) mais fiel possível daquela “Tramandahy” que encantava os moradores da nossa região no início do século XX.