Imigração Alemã > Pesquisa > Famílias teuto-brasileiras > Famílias teuto-brasileiras

Famílias teuto-brasileiras



Famílias teuto-brasileiras

FAMÍLIAS BRASILEIRAS DE ORIGENS GERMÂNICAS




À esquerda, Christiano Albino Braun, de Morro Reuter, na década de 1930. À direita, com sua esposa Rosa Naab e seus filhos Pedro Albano e Maria Erna Braun, em 1927.


Família de Pedro Braun e Maria Klein, em Dois Irmãos em 1927. Da esquerda para direita, em pé: Maria, Pedro Braun Filho, Christiano, Aloísio, Idalina e Isabela Braun. Sentados: Amália, Maria, Pedro e Teresia Braun.


Família Naab. Johann Naab que nasceu em Rothammel, Saratov, sul da Rússia e emigrou para o Brasil em 1875, com sua esposa Rosina Dewis e os filhos Jacob e Maria Naab em Santa Maria do Herval, no começo da década de 1940.


O casal Jacob Aloísio Heck e Emília Catarina Roehe, no casamento de seu filho mais velho, Danilo Heck com Alvina Müller, em 1943, em Bom Princípio. Da esquerda para direita: Luzia Vale, Artêmio, Isméria, Arlicido, Alvina e Danilo e Almedo Heck. Fila da frente: Lourdes, Emília com Olavo no colo, Helmuth, Jacob Aloísio com Nelson, Hildegard e Therezinha Heck.


Jacob Aloísio e sua esposa Emília Catarina Roehe, em Bom Princípio.


O casal Jacob Heck e Catharina Noll, de Arroio das Pedras, interior de Bom Princípio, por volta do ano de 1920.


À esquerda Emília Catarina Roehe por volta de 1915, em Bom Princípio. À direita, seu pai Henrique Roehe (ao centro) com quatro anos, com seu pai Heinrich Harry Roehe, sua madrasta Barbara Döhren e seus irmãos Harry e Emma Roehe, de Dois Irmãos, em 1868, em Porto Alegre.


José Norberto Kuhn: à esquerda com quatro anos, em 1931, em Pinhal Alto, Nova Petrópolis e à direita com 20 anos, em 1947, em São Leopoldo.


José Norberto Kuhn de Pinhal Alto, Nova Petrópolis: à esquerda, na primeira comunhão, por volta de 1937. À direita, na década de 1940.


José Norberto Kuhn e Therezinha Jaeger Moraes, de Morro Reuter, na década de 1960.


Os pais de Norberto, José Kuhn e Leopoldina Kandler, de Nova Petrópolis. Nas fotos aparecem José, por volta de 1900 e Leopoldina por volta de 1912.

Casamento de José Kuhn e Leopoldina Kandler, em 14 de junho de 1914, em Nova Petrópolis.


Família de José Kuhn e Leopoldina Kandler, no final da década de 1940, em Pinhal Alto, Nova Petrópolis.


Bodas de ouro, em 14 de junho de 1964, em Pinhal Alto, Nova Petrópolis. Da esquerda para direita os filhos: Norberto, Beno, Hilda, Aloísio e Albano Kuhn. Sentados: Irmã Wilibalda, Leopoldina e José e Irma Kuhn.


Josef Kandler e esposa Barbara Wiltgen, por volta de 1900, em Pinhal Alto, Nova Petrópolis.


João Moraes e sua esposa Emerenciana Jaeger, com seus dez filhos em Joaneta, Picada Café, no começo da década de 1940. Da esquerda para direita, em pé: Armando, Helmuth, Fridolino, Eugênio, Edmundo e André Luiz. Sentados: Therezinha, Irmã Nélia, Emerenciana e João, Irmã Aloísia e Isabela Moraes.


João Moraes e Emerenciana Jaeger em suas bodas de ouro, em 1955, em Picada São Paulo, Morro Reuter. Da esquerda para direita: Helmuth, Isabela, André Luiz, Edmudo, Eugênio, Therezinha e Fridolino. Sentados: Irmã Aloísia, Emerenciana, João e Irmã Nélia Moraes.


O casal João Moraes e Emerenciana Jaeger em 1955. À direita, com suas filhas freiras, Irmã Nélia (à esquerda) e Irmã Aloísia Moraes.


Jacob Jaeger e Anna Reichert, com a filha Maria Mercedes Jaeger, por volta de 1912, em São Leopoldo.


Bodas de ouro de Jacob Jaeger e Anna Reichert, de São Leopoldo, em 1931.


Bodas de diamantes de Jacob Jaeger e Anna Reichert, de São Leopoldo, em 1941.


Augusta Aurora Wilhelmine Süssmilch e seu marido Karl Christian Friedrich Jaeger de Meissen, Saxônia, por vota de 1840.


Jacob Scherer e Dorothea Spohr, naturais de Dois Irmãos e moradores de São Leopoldo, na década de 1940.


Jacob Scherer e Dorothea Spohr, com os filhos em São Leopoldo. Da esquerda para direita: Arthur, Norberto, Hugo, Maria, Zita, Alfredo, Urbano, Leopoldo, Eugênio e Lucila. Abaixo, alguns dos filhos homens do casal e à direita Hugo Scherer.




À esquerda, o imigrante Ebling, Philipp Heinrich Ebling e sua esposa Maria Cristina Barbara Angel, por volta de 1865 e à direita, seu filho Johann Valentim Ebling, com esposa Elisabeth Jung, por volta de 1875.


O casal Valentim Ebling e Anna Maria Schmidt, de São Leopoldo, por volta de 1895. Da esquerda para direita os filhos: Albertine, Hilda, João, Carlos, Henrique Felipe e Hermine Ebling.


O casal de São Leopoldo, Valentim Ebling e Anna Maria Schmidt, por volta de 1900.


Anna Maria Schmidt Ebling com seus netos em Arroio da Manteiga, interior de São Leopoldo, em 26 de maio de 1927.


Casa de Henrique Felipe Ebling e Mathilde Leontina von Hohendorff, em Arroio da Manteiga, São Leopoldo, por volta de 1925.


O casal Henrique Felipe Ebling e Mathilde Leontina von Hohendorff em São Leopoldo, por volta de 1900. À direita, Henrique Felipe Ebling, na década de 1940.


À esquerda, João von Hohendorff, de São Leopoldo, por volta de 1895, com os filhos do primeiro casamento com Catharina Mattje - da esquerda para direita: Luiz Germano, João Carlos, Leopoldo e Mathilde Leontina. Catharina está retratada à direita, em desenho feito por volta de 1885.


João von Hohendorff, em 1906, em São Leopoldo. À direita, com sua segunda esposa Adelina Richter e os filhos do segundo casamento.


Família von Hohendorff, em Tramandaí, em 1928. Da esquerda para direita: Wilma von Hohendorff, Henriqueta, Ely, Germano von Hohendorff, Ottília, Leopoldo e Hugo von Hohendorff. Adolfina, João e Irma von Hohendorff, João (o patriarca) e Adelina von Hohendorff. Mathilde e Henrique Felipe Ebling.


João von Hohendorff. À direita, sua filha mais velha, Mathilde Leontina von Hohendorff Ebling, ambos de São Leopoldo.


Os irmãos von Hohendorff de São Leopoldo, filhos de João von Hohendorff, na década de 1950.


As filhas de Henrique Felipe Ebling e Mathilde Leontina von Hohendorff, de São Leopoldo, por volta de 1932. Da esquerda para direita: Herta, Wilma e Liska Ebling.


O casal Henrique Felipe Ebling e Mathilde Leontina von Hohendorff, de São Leopoldo com as filhas. Da esquerda para direita: Herta, Wilma e Liska Ebling.


O casal Felipe Berlitz e Maria Helena Kieling de Travessão, Dois Irmãos, por volta de 1885. À direita, seu filho Jorge Berlitz com esposa Guilhermina Hennemann e filhos: Pedro, Vicente, Aloysio, João, Carolina, Maria Paulina e Maria Clementina, em Dois Irmãos, por volta de 1910.


A família de Felipe Berlitz e Maria Helena Kieling, de Dois Irmãos, por volta de 1885.


Guilhermina Hennemann e Jorge Berlitz, de Travessão, Dois Irmãos por volta de 1910.


Irmãos Berlitz de Dois Irmãos, filhos de Felipe Berlitz e Maria Helena Kieling. Da esquerda para direita, atrás: Carlos, Gabriel, Albino e Emílio. Fila da frente: Nicolau, Guilherme, Felipe e Jorge Berlitz.


Jorge Berliz com a nora Carolina Weber, de Dois Irmãos, na década de 1940.


Carlos Hennemann e esposa Catharina Boll de Dois Irmãos, por volta de 1900.


Irmãos Hennemann de Dois Irmãos, filhos de Carlos Hennemann e Catharina Boll. Da esquerda para direita; em pé: José, Vicente e Frederico. Sentados: Pedro, Guilhermina, João e Carlos Hennemann.


Família de Pedro Boll e Catharina Wolf, de Dois Irmãos, por volta de 1910.


Família de Pedro Boll Filho e Maria Seger, de Novo Hamburgo, por volta de 1925. Da esquerda para direita; em pé: Bruno, Pedro Boll Neto, João Vicente, Valesca, Aloísio e Irma. Sentados: Cyrillo, Hildegard, Pedro e Maria Boll, Irena e Mário Boll.


Família de Pedro Boll Filho e Maria Seger de Novo Hamburgo por volta de 1928. Da esquerda para direita, em pé: Hildegard, Cyrillo, Aloísio, João Vicente, Bruno e Mário. Sentados: Valesca, Pedro (Neto), o casal Maria Seger e Pedro Boll Filho, Irma e Irena.


Família de Pedro Boll Filho e Maria Seger de Novo Hamburgo na década de 1940. Da esquerda para direita, em pé: Aloísio, Pedro (Neto), João Vicente, Mário, Bruno e Cyrillo. Sentados: Hildegard, Irma, o casal Maria e Pedro, Irena e Valesca.


À esquerda, Valesca Boll, filha de Pedro Boll Filho e Maria Seger, natural de Novo Hamburgo, por volta de 1930. À direita no dia de seu casamento com Arthur Emílio Berlitz em Novo Hamburgo.


A esquerda Olívia Wolf (filha de Augusto Wolf e Maria Scholles Alles) com amigas em Novo Hamburgo na década de 1910. A direita sua irmã Idalina (*1895+1942) que foi casada com o hamburguense Guilherme Schmidt 


Augusto Wolf, coletor estadual, o primeiro gerente do Banrisul de Novo Hamburgo, com a esposa Maria Scholles Alles na década de 1910. O casal era natural de Santa Maria do Herval e emigrou para Novo Hamburgo nos primeiros anos de 1900.


O casal João Wolf e Adelina Lorenz de Dois Irmãos por volta de 1890. O casal mais tarde transferiu residência para Santa Maria onde Adelina faleceu em 1903 e João em 1908


A esquerda família de Harry Roehe e Emília Kleinert, em Novo Hamburgo por volta de 1890. Harry nasceu em Dois Irmãos e era Caixeiro Viajante, casou e morou em Novo Hamburgo onde nasceram seus filhos e onde ele faleceu no ano de 1940. À direita está Jacó Rauber com a esposa Catharina Persch e a neta Lucena Rauber em Linha Babilônia, interior de São Pedro da Serra, próximo a Montenegro.


As irmãs Jaeger, filhas do professor Jacob Jaeger de São Leopoldo, no final da década de 1910. A esquerda Maria Lídia Jaeger que por mais de trinta anos foi professora em São Leopoldo e a direita Maria Mercedes que no ano de 1923 entrou para a Congregação das Carmelitas e se tornou freira tendo atuado também em São Paulo e na Bolívia.


Família de Emílio Roehe e Maria Josefina Kieling, em Porto Alegre, na década de 1920. Da esquerda para direita (em pé): Henrique Oscar, Carlos, Ida Maria, João Emílio, Adalberto e Pedro Harry Roehe. Sentados: Hilda, Emílio, Erna, Josefina, Rubem e Emma Roehe.


Na foto tirada na década de 1920 estão os irmãos Roehe de Porto Alegre, filhos de Emílio Roehe e Maria Josefina Kieling. Henrique Oscar, Carlos, João Emílio, Adalberto e Pedro Harry Roehe.


Fotografia feita no começo da década de 1920 em Linha Imperial, Nova Petrópolis, nela está o casal Mathias Kuhn e Maria Wust com os filhos: José, Albino, Frida, Maria, Líria, Amélia, João e Leopoldo Cristiano.


Fotografia feita em Picada Holanda, interior de Picada Café, onde está o casal Pedro Kuhn e Madalena Federhenn na década de 1910 com os filhos: Luiz, Pedro, Maria, Rosa, Catharina, Olga, José Wilibaldo e Edvino Kuhn.


Na fotografia feita por volta de 1900 está o comerciante Cristiano Kuhn de Picada Café com sua esposa Madalena Link e seus cinco primeiros filhos, o casal teve mais seis filhos.


Na foto tirada, em 1910, no interior de Cerro Largo, aparece o casal João Kuhn e Elisabeth Utzig com os filhos, quase todos naturais de Picada Café. Da esquerda para direita estão Catarina, Ana, Maria, Elisabeth, Luiza, Elisabeth com a filha Lídia no colo, Rosa, João, Antônio e José Kuhn.


João Heck Sobrinho, natural de Bom Princípio que emigrou para Puerto Rico, na região das Missões Argentina na década de 1910. Na foto, João com sua segunda esposa Paulina Junges (a primeira, Carolina Schneider faleceu no parto da 11° filha, Paula). Heck teve 22 filhos e 96 netos. Faleceu em 1936 por causa de apendicite. Hoje vivem no Rio Grande do Sul, Argentina e Paraguai, mais de 700 descendentes de João Heck Sobrinho.


Essa é uma foto histórica para a família Kuhn, tirada no dia da primeira missa do padre Leopoldo Kuhn em 1929. Nela estão, na primeira fila, todos os filhos do patriarca Miguel Kuhn e sua esposa Anna Federhenn. Todos eram naturais de Joaneta, Picada Café. Entre os que estão sentados estão Jacó, Pedro, José, João, Miguel, padre Leopoldo, Anna Federhenn Kuhn, Catharina, Paulina e Anna Maria Kuhn.


Fotografia tirada no dia da primeira missa do monsenhor Leopoldo Kuhn em Santo Cristo, uma das novas colônias. Ele era filho de Miguel Kuhn e Anna Federhenn. O monsenhor aparece de chapéu, a direita do carro.


Foto tirada no ano de 1914 em Picada Café, onde está o casal Nicolau Stoffel e Anna Kuhn com os filhos. Da esquerda para direita estão: Ludvina, Rosalina, Albino, Alfredo, João e José João Stoffel.


Foto tirada na década de 1920 em Bom Princípio onde está o casal Jacob Fritzen e Helena Schneider com os filhos Ivo, Angélica e Raimundo, Otília e Rosa Fritzen. Helena é neta do fundador de Bom Princípio, Guilherme Winter.


Na foto tirada por volta de 1900, está o casal João Rauber e Helena Noll com os filhos nascidos em Escadinhas, no interior de São Sebastião do Caí. O casal emigrou para Cerro Largo, anos mais tarde, onde deixou grande descendência.


Família de Helena Heck e João Ritter de Tupandi nos idos de 1900.


Bodas de ouro (50 anos de casados) de Jorge Heck e Catharina Rauber em São José do Hortêncio. Da esquerda para direita os filhos: Pedro, Jorge Heck Filho, João Enrique, José Alberto, Pedro Augusto, Christiano, João e João Eduardo. Sentados: Catharina Rauber, Maria Mathilde (única filha do casal) e Jorge Heck.


Família de João Wendelino Hennemann e Maria Tecla Treis de Novo Hamburgo por volta de 1910. Da esquerda para direita na fila de trás estão João, Antônia, Aloísio, Hortência e Arnoldo Hennemann. Na frente estão Valesca, Mário, Maria Tecla e João Wendelino, Rosinha e Berta Hennemann.


Família de José João Martins e Augusta Jaeger de Novo Hamburgo na década de 1910. Estão quatro as filhas do casal, Wilma, Irma, Gerda e Hedwiges Martins.


Na foto tirada em um natal no final da década de 1920 estão as famílias Hennemann e Spohr. Entre os identificados estão Ilka Spohr (de preto), sentado está seu irmão Emílio Spohr que foi morar no Peru. Ao lado dele Arnoldo e Ema Hennemann. João Wendelino Hennemann (atrás de boina) e, ao lado, sua esposa Maria Tecla Treis. No centro o casal Alfredo Spohr e Hortência Hennemann, mais o casal Juchem, amigos da família.


Bodas de ouro do casal Harry Roehe e Emília Kleinert em Hamburgo Velho, Novo Hamburgo na década de 1930. Na foto estão os cinco filhos do casal, Alberto, Afonso, Arthur, Antônio Reinaldo e Maria Roehe, o genro, noras e netos.


Família do fotógrafo Hugo Theodoro Neumann de Linha Imperial, Nova Petrópolis


O casal José Norberto Kuhn e Therezinha Jaeger Moraes de Picada São Paulo, Morro Reuter, no final da década de 1950 com as filhas (da esquerda para direita): Maria Marlene, Maria Lourdes, Maria Nélia (no colo de Therezinha) e Maria Iria Kuhn


O casal João Heck e Anna Ritter de Harmonia, no Vale do Caí no ano de 1925


O casal de São José do Hortêncio, Jorge Heck e Anna Catharina Rauber por volta de 1928, com seu neto que anos mais tarde se tornou padre, Edgar Heck


Bodas de ouro de Felipe Stoffel e Barbara Link em julho de 1942 em Picada São Paulo, interior de Morro Reuter. O casal teve treze filhos dos quais três eram religiosos. O Irmão Jesuíta Cláudio Stoffel e as duas filhas, Irmãs do Imaculado Coração de Maria, Maria Alacoque e Maria Regina Stoffel.


Bodas de diamantes (60 anos de casados) de Jacob Jaeger e Anna Reichert em São Leopoldo no ano de 1941, o casal está sentado na presença dos filhos (da esquerda para direita), Edmundo, Lídia e Afonso Miguel Jaeger.