Imigração Alemã > Pesquisa > Famílias imigrantes > Sebastian Diehl (*1786 em Sankt Wolfgang Katholisch +1847 em São Leopoldo)

familias-imigrantes



Sebastian Diehl (*1786 em Sankt Wolfgang Katholisch +1847 em São Leopoldo)

Segundo Carlos Henrique Hunsche & Maria Astolfi, O Quatriênio 1827 - 1830 da Imigração e Colonização Alemã no Rio Grande do Sul, Editora G&W, Porto Alegre, 2004, página 581 e 583: Diehl, Sebastian, número 851/858 (1827 VII 391/398). Família composta de oito membros, chegou a São Leopoldo em 16 de dezembro de 1827. Foi provavelmente aparentado com o genearca imigrante do ano de 1826, Paulo Dihl, por serem ambos católicos e provenientes da Província Prussiana do Reno (Hillebrand). Ignoramos em que navio os Diehl cruzaram o Atlântico. Do Rio de Janeiro a Porto Alegre, viajaram no costeiro "Maria Inês", segundo o Aviso de 22 de setembro de 1827, no qual o Visconde de Sao Leopoldo, Ministro dos Negócios do Império, recomenda Sebastião Diehl ao Presidente da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, Salvador José Maciel, nos seguintes termos: Sua Majestade o Imperador há por ordenar que V. Exa., logo que chegar a esse porto a sumaca Maria Inês, que deste porto se dirige à cidade de Porto Alegre, expeça as ordens necessárias, não só para o desembarque e recepção dos colonos alemães que transporta, constantes da relação que lhe apresentar o nome da dita embarcação assinada por monsenhor Miranda ou pela pessoa a que ele der comissão para esse fim, mas também para o pagamento do respectivo frete, na conformidade do contrato celebrado entre o dito monsenhor e o mestre da referida sumaca: e, como entre aqueles colonos vai Sebastião Diehl com a sua família, serralheiro muito hábil que, pelo seu préstimo, pode ser nessa Província de muita utilidade e digno por isso de ser recomendado a V. Exa., cumpre que V. Exa. o empregue convenientemente, sem prejuízo das vantagens, que como colono, lhe competem. Deus guarde V. Exa., Palácio do Rio de Janeiro, 22 de setembro de 1827 (Aberllard, número 34). A relação de passageiros, anexa ao Aviso de 22 de setembro de 1827, menciona uma filha, "Carolina", não registrada por Hillebrand, que deve ter permanecido em Porto Alegre. Pelo menos Aviso, integrava a família Diehl um irmão do chefe, Valentin Diehl e duas moças solteiras, "Margarida Hoeffel" e "Rosina Koelln (Koelln)", adidas, para serem entregues na Colônia, a seus pais. Sebastiao Diehl, nasceu no dia 30 de agosto de 1786 (Hillebrand: 1776) em St. Nikolaus, Bad Kreuznach, na Renania Palatinado, faleceu no dia 02 de março de 1847 em São Leopoldo, onde exerceu a profissão de serralheiro e ferreiro e onde, como pioneiro da navegação fluvial no Rio Grande do Sul, auxiliado pelos filhos varões, manteve um serviço regular de lanchas entre São Leopoldo e Porto Alegre e, posteriormente, nos afluentes do rio Guaíba. Possuía na rua do Passo, hoje Independência, o terreno número 25 da quadra 44, que adquiriu em 1844 por 100$000 réis. Era Filho de Martin Diehl, pedreiro, nascido no primeiro dia de janeiro de 1748 em Kreuznach, onde faleceu no dia 19 de setembro de 1818, casou-se no dia 23 de fevereiro de 1773 com Anna Margaretha Bergmann, nascida no dia 08 de janeiro de 1750 em Okenheim, perto de Bingen, na Renânia palatinado, onde faleceu no dia 08 de outubro de 17895; era neto de Karl Franz Diehl, nascido no ano de 1721 em Bad Kreuznach, casou-se no dia 04 de outubro de 1750 com anna Margaretha Culmann, faleceu no dia 23 de dezembro de 1755; era bisneto do pedreiro Franz Diehl, nascido no ano de 1686, casado no ano de 1709 com Catharina Bastide, falecida no dia 18 de julho de 1747.