Imigração Alemã > Acervo Documental > Cartas > Carta de Peter Kayser



Carta de Peter Kayser

Porto Alegre, na Província de São Pedro do Sul, Brasil, 13 de março de 1836.

Caríssimo e querido irmão:

Desejo que estas poucas linhas encontrem a ti, tua querida família e todos os parentes com saúde.

Durante o longo espaço de tempo de quase nove anos em que não nos vimos mais, tenho escrito várias vezes a vocês, sem ter sido alegrado, até agora, com uma querida resposta. As cartas provavelmente não chegaram ou se extraviaram. Encontrando-me casualmente aqui na capital, de onde partirá em poucos dias um navio hamburguês diretamente para Hamburgo, aproveito com prazer esta oportunidade para dirigir estas poucas linhas a vocês, na esperança de que, desta vez, a carta chegue bem em seu poder. Quanto à nossa família daqui, sou casado com Elisabeth Hensel, de Dickenschied. Nosso matrimônio foi abençoado com dois filhos, uma menina, de dois anos e um menino, de dois meses. Gozamos de perfeita saúde. Tenho uma mulher boa e valente; vivemos felizes e na melhor concórdia. Possuo um bom lote e, além disso, uma pequena venda e falo negócios de intercâmbio com Porto Alegre. Tenho portanto, a minha vida garantida.

Nosso irmão mais velho, Johannes, está bem e com saúde, sua família cresceu em mais seis filhos; o irmão mais moço, Nikolaus, ainda está solteiro e há três anos viaja, obtendo um bom rendimento. Nossa irmã Philippine está casada com Philipp Deuner, de Alzei, já tem quatro filhos e, graças a Deus, estão todos bem.

Da distante e amada pátria, onde está o bem de todos aqueles a quem amo, peço-te, querido irmão, que me respondas tão logo seja possível, contando as novidades da família e da pátria. Meu endereço é o seguinte: Ao colono Pedro Kayser, perto da Colônia Alemã de São Leopoldo na Província de São Pedro do Sul, Brasil. Ponham a carta em um envelope e mandem-na ao Senhor comerciante Franz Diederich em Hamburgo, que tem um filho nessa cidade e que manda, anualmente vários navios para cá, mas devem liberar postalmente a carta até Hamburgo.

Milhares de saudações ao meu irmão Georg Philipp e a sua família, assim como a todos os bons amigos e conhecidos da minha parte, da parte da esposa e de todos os parentes, Caro irmão, preciso encerrar. Que o bom Deus vos guarde e proteja e, na esperança de receber em breve uma cara resposta, sou por toda a vida seu querido irmão,

Peter Kayser.