Imigração Alemã > Acervo Documental > Cartas > Terceira carta de Philipp Elicker



Terceira carta de Philipp Elicker

Sr. Johann Georg Elicker
Niederlinxweiler
Município de St. Wendel
Província do Reno
Reino da Prússia.
Colônia de São Leopoldo, 26 de dezembro de 1845

Caro irmão:

Faz alguns meses, caríssimo irmão, recebi, através da carta de Wilhelm Maurer, notícias de ti, após ter esperado mais de um ano, desde 1844, uma resposta à carta que te escrevi. Fico muito sentido em ouvir de ti que já há bastante tempo estás doente, mas reconheço a vontade de Deus. A morte de meus dois irmãos eu recebi com grande pesar, mas quem sabe se os mesmos não estão mais satisfeitos e felizes do que nós.

Desde 7 de setembro de 1844 eu sou viúvo, como já participei a vocês. Minha mulher era natural do Ducado Darmstadt, de Steinheim, da família Eckel. Nós vivemos 12 anos em feliz união, mas Deus a levou para si e me deixou aqui sozinho. O sustento, eu o tiro da minha profissão, vivo bem e com saúde, e não posso me queixar dos lucros.

Para hoje nada mais de novo. Junto eu mando para meus dois irmãos quatro pássaros daqui, colibris, dois verdes com peito verde e verde com peito branco, um com barba, outro com peito branco. Estes eu mando para vocês como lembrança.

Jakob Albrecht vos manda muitas lembranças. Ele vai muito bem, pois aprendeu em 1832 a profissão de curtidor e se sustenta muito bem com a mesma. Ele é, pode-se dizer, um dos alemães que aqui estão em melhor situação. Ele já tem diversos negros que o ajudam no curtume. Paralelamente pratica a agricultura. No ano de 1834 ele casou com a filha de Nikolaus Müller, de Ohlweiler, junto aos velhos Simmern, e gerou, até agora, num feliz matrimônio, 6 filhos. Sua mãe está ainda com saúde e bem disposta como quando saiu da Europa e manda muitas lembranças para seu irmão e sua irmã, e manda dizer-lhes que vai muito bem. Albrecht manda muitas lembranças para todos os seus conhecidos e parentes e nominalmente para sua madrinha, e espera que tudo vá tão bem para todos, como acontece com ele.

Se o Sr. Pastor Schmoll ainda estiver vivo, então queira saudá-lo da parte de Albrecht e de sua mãe e diga-lhe que Jakob ainda se lembra dos dias em que esteve com ele.

Volz manda muitas lembranças ao seu cunhado Nikolaus Sahner e manda dizer-lhe que recebeu sua carta e que a respondeu em seguida e espera que eles venham logo.

Enfim, de nós todos, os melhores votos, assim como de mim, de Albrecht e de todos os conhecidos. Esperamos uma resposta de vocês.

Saúde e até à vista.
Philipp Elicker.


A família Schwengel vai bem, e consegue seu sustento muito bem e honestamente, só que o pai Jakob Schwengel faleceu há algumas semanas. Foi tudo um caso muito triste. Enfim, não deixou filhos menores.