Imigração Alemã > Acervo Documental > Acervo documental sobre Imigração Alemã no Brasil



Acervo documental sobre Imigração Alemã no Brasil

Apesar de ter focado suas pesquisas para a área de fotografias antigas, o jornalista e escritor Felipe Kuhn Braun, compilou vasto material documental durante esses dez anos. Na área de comunicação, Felipe possui a coleção da revista Die Welt (1900-1910) e da revista em língua alemã Sankt Paulusblatt (1949- 2010). Também possui a coleção histórica do almanaque Jesuíta Ignatius Kalender (1936-1965) e do almanaque do jornalista Hugo Metzler, o Familienkalender (1920-1928).

Braun também conseguiu "santinhos de falecimento" de dezenas de descendentes de alemães (principalmente do Vale do Caí e do Vale dos Sinos) do final do século XIX e início do século XX. Também há recortes de jornais com mensagens, propagandas e necrólogos, além de cartas "de luto" (cartas ladeadas com faixas pretas, enviadas no passado quando um parente ou amigo falecia) e livros e livretos de reza.

Nesse material também há uma grande quantidade de cartas, desde a década de 1830 até aproximadamente 1930, essas últimas já escritas por descendentes dos primeiros imigrantes. No acervo se encontra também documentos pessoais do professor Heinrich Harry Roehe (1821-1893) e do juiz de paz Carlos Hennemann (1860-1918) de Dois Irmãos. Também há papéis com genealogias antigas, pesquisas por pastores e padres e pelas antigas famílias "tradicionais" da região.

Há uma documentação trazida por imigrantes, passaportes (das famílias Momberger e Fuchs), mapas e passagens de navios (a mais antiga do ano de 1827, do veleiro Olbers). No acervo se encontram documentos com assinaturas de personalidades importantes das colônias alemãs, tais como do missionário Agostinho Lipinski e o abaixo-assinado feio na localidade de Dois Irmãos na década de 1860.

Felipe também compilou autobiografias escritas pelos imigrantes, bem como diários (três diários de bordo, o mais antigo do ano de 1827, do imigrante Johann Gottlieb Wollf que partiu de Magdeburg e se estabeleceu em São Leopoldo. No acervo também se encontram relatos e pequenos históricos escritos pelos imigrantes e seus descendentes.

Nos documentos gerais há lembranças de primeira comunhão, das décadas de 1860, 1870, 1880 e 1890. Convites para cinema, teatro, convites para casamentos, bailes, festejos. Boletins escolares, diplomas. Felipe está digitalizando parte desse acervo para dispor esse material em nossas publicações e posteriormente na internet.